05/03/13

Aprender com o Mar


Para alunos do Ensino Básico


Escreve uma história com o máximo de 25 linhas a partir desta imagem.
Consulta O Mar de A a Z
no painel interativo da BE
e entrega a tua história na BE, até ao
dia 20 de março.
Bora lá!
 

04/03/13

Março - Mês do Mar



Iniciamos já as atividades sobre o vastíssimo tema: O Mar.
Já expusemos livros e alguns poemas evocativos. Mais textos irão surgir!
É tão vasto este tema que jamais haverá tempo para expressar tudo o que o mar significa para todos nós: esta força da natureza que espelha o céu e nos leva os amigos, nos fascina com a sua grandiosidade e nos comove com a sua beleza, nos extasia e mormente nos atormenta.

Disse Raul Brandão: "Já percebi que  o que as ilhas têm de mais belo e as completa é a ilha que está em frente. " Sim , é verdade. E o mar? Qual o seu lugar nesta paisagem para  a ilha em frente que todos os dias nos matiza a alma com  cambiantes de luz e cores desmedidamente belas e perigosas? Sem ele, seria   a ilha em frente  a mesma? Que secura, vegetação,  lodo ou onda aconchegaria o leito  que nos segura os pés ao lado  que nos serve de limite?
A açorianidade de Nemésio  não deixa de evocar as tempestades com desvelo de pintor em Mau Tempo no Canal... Brandão não era ilhéu, mas descortinou  a paisagem como se o fosse e, de  seguida,   incluiu o mar naquela sua observação, em  As Ilhas Desconhecidas, quando acrescenta: "e a viagem por mar é um constante desvendar, uma genesíaca sensação  de redescoberta quando a ilha vai a pouco e pouco definindo contornos à proa da nossa embarcação." António Machado Pires  completa, afirmando,  que [Brandão captou essa sensação, que Nemésio sentiu iniciaticamente, definindo a ilha como a esfinge no meio do mar].
Eis em poucas palavras como  o mar  não passa despercebido...

Aguardamos e agradecemos os vossos comentários.

Citações de As Ilhas Desconhecidas, de Raul Brandão

Silvana Correia


A baleia é o "boi" do mar

Obrigada Vitor Rui Dores por tão merecida homenagem




    
  Vitor Rui Dores
Boi do Mar (Ré Menor)
Vogando em botes ligeiros
Nas voltas do mar deserto
Navegarão baleeiros

Em busca de um rumo incerto
Fica terra a barlavento
A baleia já avança
Mar  nos olhos proa ao vento

Vamos arpoar a esperança
Baleeiros, baleeiros
A memória ainda perdura
Sois os heróis derradeiros
Da marítima aventura
(Refrão)



A baleia é o boi do mar
Que tombou na agonia
Rema, rema é só remar
Já findou o negro dia


Quem plantou sonhos nas águas
Quem do arpão fez seu pão
Quem sofreu tamanhas mágoas
Em vendavais de emoção.
(Refrão)